top of page

Deputado Domingos Sávio teme pior crise da história na produção de leite no Brasil

Atualizado: 11 de dez. de 2023

Importação subsidiada tem feito com que vários produtores nacionais decretem falência; preços nos mercados disparam.





Os problemas causados pela alta importação de leite têm sido debatidos semanalmente em Brasília. Com frequência, o deputado federal Domingos Sávio (PL-MG), vice-presidente da Frente Parlamentar Agropecuária, traz à tona o medo de que o Brasil deixe de ser um país autossuficiente na produção de laticínios.


Nessa quarta-feira (06), Domingos participou de uma audiência com o Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, onde voltou a cobrar medidas urgentes em prol do setor agropecuário, em especial para os produtores de leite que, segundo o deputado, se encontram em situação de desespero com o preço do leite sendo pago bem abaixo do custo de produção em praticamente todo o Brasil. “Em Minas Gerais já temos muitos produtores que estão abandonando a atividade ou indo literalmente à falência, cobrindo prejuízo mês a mês. O produtor tem um custo elevadíssimo para produzir o leite e a remuneração pelos laticínios é inferior ao custo”.


Para Domingos, isso se deve principalmente pela importação de leite subsidiado da Argentina, que continua acontecendo apesar de toda a cobrança que vem sendo feita. O deputado alertou que, quando o Governo Federal anunciou que iria aplicar medidas tributárias para dificultar a importação somente a partir de janeiro de 2024, as indústrias aumentaram as importações em novembro. “A previsão é de que continuem aumentando em dezembro, fazendo estoque deste leite que vem subsidiado da Argentina”, revelou Domingos Sávio.


CRÉDITO ÀS COOPERATIVAS


Outro problema apontado pelo deputado e considerado grave pelo mesmo é a prática de autorização automática realizada por setores da defesa sanitária para a importação de leite em pó. Domingos revelou ter dito ao Ministro que paralisar essas ações contribuem para o reequilíbrio da produção nacional. “No passado, no período do governo Bolsonaro, ocorriam situações semelhantes e o ministério da época parou de dar autorização automática, e isso ajudou. Infelizmente, hoje o ministério continua liberando importações de forma descontrolada, prejudicando o setor”.


O ministro Fávaro manifestou sua preocupação e informou que disponibilizará, nos próximos dias, uma linha de crédito para as cooperativas com juros de 8% ao ano, com prazo de quitação em seis anos, com limites de até R$40 milhões por cooperativa, para ajudar a socorrer os cooperados. “Em muitos casos, os produtores passaram a ficar endividados com as cooperativas, uma vez que o que recebem pelo leite vendido não é suficiente sequer para cobrir os custos de insumos”, explicou o deputado Domingos Sávio, que cobrou também a prorrogação dessas dívidas. “Tem que evitar que entrem no processo de inadimplência, complicando ainda mais a situação financeira. Se continuar da forma que está, em pouco tempo o Brasil deixará de ser autossuficiente na produção de leite. Socorrer o produtor de leite é algo fundamental para o país, e não apenas para o agro”, finalizou.


Em Minas Gerais já temos muitos produtores que estão abandonando a atividade ou indo literalmente à falência, cobrindo prejuízo mês a mês.

Comments


bottom of page